Gestão de Parque Eólico – Quanto custa sua turbina parada?

21 abril 2021

Se você, proprietário e/ou responsável pela operação de Parques Eólicos não sabe quanto custa a sua turbina parada, você está deixando de conhecer os principais dados que te fazem perceber a fundamental importância de investir no gerenciamento e ter um Parque Eólico em pleno funcionamento, ter uma Gestão de Parque Eólico, vamos te explicar o porquê disso.

Para estimular a sua reflexão a respeito da pergunta “Quanto custa a sua turbina parada?”, vamos começar falando da importância de se atender aos contratos firmados de compra e venda de energia.

Quando a energia gerada em um parque eólico é vendida, seja no Ambiente de Contratação Regulada (ACR) – através dos leilões de energia – ou no Ambiente de Contratação Livre (ACL) – o investidor está assumindo o compromisso e a responsabilidade de gerar e entregar ao sistema elétrico aquela quantidade X de energia contratada pelo seu cliente.

Vale salientar, que o compromisso assumido pelo investidor não é apenas com o seu cliente. Isso porque o sistema de produção e transmissão de energia no Brasil compõe o Sistema Interligado Nacional (SIN).

Todos os agentes que atuam no sistema, são operados pelo Operador Nacional do Sistema (ONS). Se, por algum motivo, uma usina geradora de energia não conseguir entregar a quantidade de energia contratada, todo o SIN pode ser prejudicado.

Todos os contratos de compra e venda de energia precisam ser registrados na CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) que tem como uma de suas atribuições contabilizar os montantes de energia comercializados no SIN e verificar se os contratos de compra e venda de energia estão sendo atendidos.

Essa verificação da CCEE averigua tanto se o investidor/gerador cumpriu com sua responsabilidade de entregar a energia contratada quanto confere se a quantidade de energia consumida foi maior ou menor que aquela estabelecida em contrato.

As diferenças que, porventura, acontecerem são compensadas através da comercialização de energia no Mercado de Curto Prazo (MCP) e para valoração dessa comercialização é utilizado o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD).

Agora, vejam só: quando o investidor / proprietário do Parque Eólico, não atende àquela demanda que foi firmada em contrato, e que é solicitada pelo ONS para garantir a disponibilidade do SIN, ele deixa de faturar e fica sujeito a multas contratuais e a penalidade de energia por insuficiência de lastro de energia.

Portanto, cada aerogerador de um parque eólico que precisa parar e ser submetido a uma manutenção não programada, está aumentando o risco de o investidor ter prejuízos / multa / penalidades dentro do mercado de energia. Além de ter que desembolsar para arcar com os custos de manutenção da turbina.

É por isso que, considerando toda a complexidade do SIN, a VCI tem insistido na importância de que o Gerenciamento do Parque Eólico seja cada vez mais eficaz. É preciso acompanhar de perto a operação de cada turbina para que haja cada vez menos necessidade de paradas não programadas. A VCI está trabalhando com três pilares para executar com propriedade esse gerenciamento. São eles:

  1. Diagnóstico e Prognóstico do Parque;

  2. Manutenção Preventiva e Corretiva;

  3. Monitoramento e Controle com Indicadores de Resultados.

Para que as decisões a respeito da operação das turbinas e do Parque Eólico de maneira geral sejam bem assertivas e confiáveis, é preciso entender qual é a situação real das máquinas e equipamentos. A partir da execução desses pilares pelo time VCI – que inclui a realização de inspeções internas e externas, é possível identificar com clareza as intervenções que sejam necessárias e, de maneira inteligente, programar as manutenções preventivas e corretivas estabelecendo o cronograma no Plano de Controle da Manutenção (PCM).

O bom desempenho da operação do Parque Eólico está diretamente ligado ao estabelecimento de um plano eficaz de manutenção. Considerando que as intervenções de acordo com as necessidades podem ser programadas para períodos de baixo vento e baixa produção, por exemplo. Salientamos aqui que a VCI procura focar na prevenção e na otimização da vida útil dos equipamentos e, dessa maneira, evitar que haja demanda para realização de manutenções corretivas extras ao estabelecido no PCM.

gestão de parque eólico

Inteirando os três pilares propostos pela VCI para o Gerenciamento dos Parques Eólicos está a realização do Monitoramento e Controle que acompanha em tempo real a operação da usina. Na realização desta etapa, fazemos o registro do histórico de manutenção de cada componente possibilitando a sincronização da melhor data para programação de intervenções. Aqui ainda são entregues relatórios com análises estatísticas dos dados, que são coletados em campo, gerando assim os indicadores operacionais e desempenho das máquinas.

Além de manter a turbina em operação é preciso assegurar que ela funcione em sua melhor performance. Para isso é que trabalhamos nesses três pilares: ter clareza do estado do Parque Eólico e das intervenções que são necessárias; manter as manutenções em dia, e; realizar com precisão o monitoramento e controle dos indicadores de operação das máquinas a fim de antecipar possíveis problemas. Assim, a VCI vem trabalhando para que você tenha o mínimo de horas de equipamentos ociosos.

E então, você sabe quanto custa sua turbina parada?